fbpx

Raiva e o comportamento alimentar

Publicado por Cristine Moraes em

A vibração da raiva (150hz) nos impulsiona a um movimento.

Quando sentimos raiva, por qualquer situação, saímos da faixa de frequência da culpa (30hz), apatia (50hz), mágoa/tristeza (75hz), medo (100hz), desejo/escravidão/não merecimento (125hz) e estamos em trânsito emocional.

Ninguém sente raiva a vida toda, pois a raiva é transitória se transformando em IRA/CULPA – a qual é permanente. Quando não conseguimos transformar a raiva em algo bom, caímos na ira, que é destruição, corrosão, fogo.

Ao sentirmos raiva saímos da sala da apatia e entramos em um corredor escuro o qual possui diversas portas.

O corredor escuro é a representação da raiva. Quem nunca se deparou falando da seguinte maneira:

“Eu estava com tanta raiva que nem senti o gosto da comida”
“Eu estava com tanta raiva que nem enxerguei o que fiz”
“Era tanta raiva que eu não sei de onde tirei aquela força”

E segue assim, no momento da raiva a pessoa não pensa – apenas age e reage a uma situação que despertou esta emoção nela.

Neste momento é preciso usar o corpo mental racional, a razão, afim de sair do corredor escuro e conseguir entrar em uma porta “segura”, pois se ficarmos na raiva seremos sugados pela porta da IRA/RANCOR e a corrosão do corpo físico será inevitável.

Quem nunca sentiu uma dor de estômago, cabeça ou sofreu uma insônia devido a uma raiva mal direcionada?

A melhor escolha de porta é a do AMOR PRÓPRIO. No momento de raiva sugerimos que você pratique o amor próprio. Busque fazer algo por você, alinhar-se com o que você gosta e cuidar-se verdadeiramente. É a melhor porta a se entrar neste momento pois a BIOENERGIA gasta no momento da raiva será captada a partir do AUTO-AMOR e você terá condições de continuar o movimento a favor de si próprio – movimento esse iniciado por uma RAIVA.

Outras portas podem ser escolhidas: gratidão, alegria…

E veja bem, não caia na cilada de procurar alguém dizendo que você está doando e exercitando seu amor para sair da raiva. Primeiro se dê o amor, depois doe. Ir doar amor neste momento é uma distração que seu mental cria para te afastar da real solução do problema.

Se você entrou na raiva foi porque algo em você precisava ser reorganizado – mentir-se e esconder-se de suas próprias questões internas – indo cuidar de outro – na desculpa que isso é amor próprio, não irá dissipar a raiva, nem te afastar da ira, apenas irá desviar o foco mental da situação e da emoção. Portanto pratique o amor próprio:

  • vista-se com uma roupa de que você gosta
  • marque aquela revisão médica ou no dentista que já está a tempo vencida
  • tome um banho, arrume-se, olhe-se no espelho e se elogie
  • vá almoçar ou lanchar em algum lugar que você considera muito bom
  • arrume seu guarda roupas
  • organize os documentos no seu computador
  • faça um exercício físico que te deixa feliz
  • arrume seu cabelo
  • permita-se descansar, ou seja, desvie o foco para você e faça algo que nutra sua vida.

Porém, importante lembrar que, sentir raiva faz parte do crescimento e evolução do ser humano. Se assim não fosse, não existiria esta emoção. Sair dela conscientemente, como na nossa proposta, não significa ignorar o motivo que te fez acessar esta raiva, e sim ir para um local – emocional – que te permita agir em Coerência Cardíaca.

Quando estamos em um estado de amor próprio refletindo sobre a situação, quando já conseguimos sair do corredor escuro e estamos nos esforçando para entender porque a vida me tirou de uma sala “confortável” e me jogou no corredor escuro estamos acionando a autoresponsabilidade e saindo do banco da vítima. Agir com a frequência do amor próprio acionada é mais seguro, e os resultados serão mais satisfatórios para sua saúde geral, além do ganho de consciência que você receberá.

RAIVA e COMPORTAMENTO ALIMENTAR NA PRÁTICA

Quando sentimos raiva de nós mesmos por termos ingerido um alimento que julgamos que irá nos engordar ou fazer mal para nossa saúde, se não soubermos sair do corredor escuro – com amor próprio – cairemos na ira e a autodestruição, a corrosão será mais comida, compulsão alimentar, exercícios extenuantes e comportamentos que te afastam de um relacionamento equilibrado e pacífico com a comida.

Alimentar-se em paz consigo mesmo não implicará em desequilíbrio no comportamento alimentar.

Se ao alimentar-se você entrou no corredor escuro da raiva, necessariamente precisará utilizar seu corpo mental racional e escolher fazer algum ato de amor próprio.

Esta raiva te movimenta a enxergar partes suas que ainda estão em dúvida sobre o que você realmente considera uma alimentação SAUDÁVEL e PACÍFICA.

Sinta seu CORPO, ouça seu CORAÇÃO… RECONECTE-SE.


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *